Imprensa     >     Projeto Agentes da Cidadania inicia ciclo de ações na Zona da Mata Mineira
12 ago, 22

Projeto Agentes da Cidadania inicia ciclo de ações na Zona da Mata Mineira

ago sex, 2022

Iniciativa retoma atividades de desenvolvimento de lideranças políticas com jovens e ações em benefício das comunidades da região

 

Estimulando a participação dos jovens brasileiros na educação política e no desenvolvimento social das comunidades, o Projeto Agentes da Cidadania retomou as atividades na Zona da Mata Mineira nos municípios de Miraí, Muriaé, Rosário da Limeira e São Sebastião da Vargem Alegre. A ação contempla o Programa Cidadania, do Instituto Votorantim, em parceria com a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), executada pelo Instituto de Governo Aberto e Instituto Cidade Democrática, desde 2021, nas cidades participantes.

O projeto atua com o objetivo de promover um exercício de cidadania ativa para jovens, por meio do avanço nas dimensões de cultura democrática, participação política e articulação territorial. Em 2022, a iniciativa selecionou 30 jovens, de 16 a 29 anos, que atuarão de junho a dezembro deste ano como voluntários, conhecidos como Agentes da Cidadania.

 

De acordo com a agente da cidadania Juliana de Souza Rezende, de 29 anos, professora de História da Escola Estadual Santo Antônio e de Musicalização Infantil no Colégio Renascer, em Miraí, o mais importante do projeto é a troca de saberes e diálogos entre pessoas de diferentes municípios. “Conversamos sobre os problemas locais e vemos o que cada lugar tem em comum e de diferente. O mais enriquecedor é podermos agregar esse conhecimento social, que muitas vezes é trazido pelos alunos para dentro da sala de aula. Nossos jovens estão motivados a tomar atitudes para exercer a cidadania e colocar em prática deveres e direitos, e é muito importante incentivarmos isso”, pontua.

 

Para o gerente das Unidades de mineração da CBA na Zona da Mata Mineira, Christian Fonseca de Andrade, o apoio à realização do Agentes da Cidadania vai ao encontro do compromisso da Companhia com o investimento em ações sociais, colaborando para o desenvolvimento das comunidades locais. “Este projeto é uma importante frente de atuação que promove o empoderamento dos jovens através da educação em cidadania, estimulando-os no apoio às gestões públicas municipais da região e conscientizando-os quanto aos seus deveres e direitos”, ressalta.

 

O projeto

Ao longo do projeto, os jovens participantes recebem atividades online e oficinas formativas aos finais de semana, com o objetivo de compartilhar os aprendizados junto às suas comunidades. As oficinas contemplam rodas de debate e jogos interativos com temática de participação social, cidadania, representatividade, identidade e juventude política. Eles também utilizam e divulgam um aplicativo de consulta pública para outros agentes e cidadãos, no qual analisam problemas da cidade e desejos de mudança das comunidades locais, a fim de desenvolver ações com apoio e monitoramento de especialistas.

Entre as atribuições dos agentes no programa, ainda haverá a participação ativa dos próximos encontros formativos online, estabelecendo conexões entre suas vivências e os conteúdos apresentados. Os jovens também vão planejar e executar projetos em suas cidades junto com demais integrantes da Rede Cidadania, de modo a exercitar as competências desenvolvidas e multiplicar os aprendizados do programa.

Os primeiros encontros já trabalharam conceitos relevantes de política e cidadania, como a tripartição dos poderes, direitos civis e questões sociais importantes. Em seguida, as ações de mobilização estimulam o exercício do conteúdo aprendido, com ações conjuntas nas comunidades nas áreas de cultura, educação, esporte, meio ambiente, entre outras.

Segundo a agente Maria Júlia Mota Varizi, aluna de 15 anos da 1ª série do Ensino Médio da Escola Estadual Ormezinda Alves Duarte, em São Sebastião da Vargem Alegre, a iniciativa é importante para identificar pontos de melhoria para as comunidades e soluções para os problemas da cidade. “Essa troca de conhecimento é muito interessante para podermos ir atrás das melhorias para a nossa cidade e dar voz à juventude local sobre as questões sociais. Eu moro na zona rural e já identifiquei alguns problemas próximos que atrapalham os moradores, e estamos identificando os órgãos responsáveis para chegar a uma solução”, destaca.

 

Próximos Ciclos

Para a seleção dos voluntários, o programa contou com o apoio de diversas organizações, coletivos, movimentos, atores políticos e lideranças locais das cidades envolvidas. Nos próximos ciclos, os jovens realizarão consultas públicas sobre a política nacional, com levantamentos com pessoas de seu convívio sobre o atual cenário do Brasil.

A partir delas, serão identificados os problemas e os desejos de mudança locais, de modo que os agentes possam fazer um pedido de acesso à informação ou uma reclamação formal para a Prefeitura e/ou para a Câmara de Vereadores de suas cidades.